12 outubro 2020

Algoritmos e Redes Sociais

Qual a função dos algoritmos? Amealhar dados sobre nós a cada segundo. Eis alguns deles: tipo de links que clicamos, vídeos que vimos até o fim, a rapidez com que pulamos de uma coisa a outra. Eles correlacionam o que fazemos com o que quase todas as outras pessoas têm feito. Os anúncios em jornais e televisão são gerais. Diferem, assim, dos anúncios nas redes sociais, que são adaptados a cada indivíduo. É uma espécie de modificação de comportamento em escala gigantesca.

Não faz muito tempo, poderíamos nos candidatar a um experimento psicológico de alguma universidade. Na sala de testes, é possível que nos observassem por meio de um espelho falso. Hoje, as redes sociais o fazem sem constrangimento. Muitas vezes estamos sendo cobaias, mas não percebemos. Há, assim, uma vigilância generalizada e a manipulação constante. 

Sean Parker, primeiro presidente do Facebook, disse certa vez que "precisamos lhe dar uma pequena dose de dopamina de vez em quando, porque alguém deu like ou comentou em uma foto ou uma postagem, ou seja lá o que for". Chamath Palihapitiya, ex-vice-presidente de crescimento de usuários do Facebook, por sua vez, disse: "criamos ciclos de feedback de curto prazo impulsionados pela dopamina que estão destruindo o funcionamento da sociedade". 

Para que as redes sociais ganhem dinheiro, elas precisam estimular a modificação de comportamento. Para tanto, elas podem usar técnicas que estimulam a criação de vícios. Depois de viciados, esses indivíduos vão perdendo gradualmente o contato com o mundo e as pessoas reais. Quando muitos estão viciados em esquemas manipuladores, o mundo se desmorona. A dopamina é um neurotransmissor que age no prazer e é considerado crucial para mudanças comportamentais em resposta à obtenção de recompensas. 

Nas redes sociais, os algoritmos costumam ser adaptáveis. Se um algoritmo descobre que fazemos uma compra depois de ver um anúncio por 5 segundos, eles testam se não faríamos a mesma compra em quatro segundos. Nós mesmos fornecemos o material para ele usar a "nosso favor", quando essa ação transforma-se, na maioria da vezes, em vício. 

O vício transforma-nos em zumbis, comprometendo o nosso livre-arbítrio. Não há ninguém livre dele, mesmo com a boa quantidade de livros de autoajuda que tivermos lido. O problema é quando esse comportamento fica à mercê exclusivamente dos manipuladores invisíveis e algoritmos indiferentes. Um alerta: pense nos bilhões de dólares que esses manipuladores recebem, dinheiro esse proveniente daqueles que estão tentando mudar o nosso comportamento. 

Sugestão do autor: "Para se libertar, ser mais autêntico, menos viciado, menos manipulado, menos paranoico... por todos esses motivos maravilhosos, delete suas contas nas redes sociais".

Fonte de Consulta

LANIER, Jaron. Dez Argumentos para você Deletar Agora suas Redes Sociais. Tradução de Bruno Casotti. Rio de Janeiro: Intrínseca, 2018.



11 outubro 2020

Internet: Traços Históricos

A história da Internet exalta a capacidade que os seres humanos têm de superar barreiras burocráticas e institucionais em vista de um mundo novo. Mostra que cooperação e liberdade de informação são mais propícias à inovação do que a competição e os direitos de propriedade.

As origens da Internet podem ser encontradas na Arpanet, uma rede de computadores montada pela Advanced Research Projects Agency (ARPA) em setembro de 1969. O objetivo era montar uma rede interativa de computadores. Para que pudessem falar umas com as outras, as redes de computadores precisavam de protocolos de comunicação padronizados. Em 1973, criou-se o protocolo de controle de transmissão (TCP). Em 1978, acrescentou-se o protocolo intrarrede (IP), o que gerou o protocolo TCP/IP, o padrão segundo o qual a Internet continua operando até hoje.

O governo dos EUA abre a Internet à iniciativa privada. Em 1990 muitos provedores de serviços da Internet montaram suas próprias redes, fazendo com que a Internet crescesse rapidamente como uma rede global de redes de computadores. O que permitiu à Internet abarcar o mundo todo foi o desenvolvimento da www. Em 1991, Berners-Lee teve participação importante, pois implementou o software que permitia obter e acrescentar informação de e para qualquer computador conectado através da internet: HTTP e URL. Daí, o sucesso do Navigator.

Assim, em meados da década 1990, a Internet estava privatizada e dotada de uma arquitetura técnica aberta, que permitia a interconexão de todas as redes de computadores em qualquer lugar do mundo; a www podia então funcionar com software adequado, e vários navegadores de uso fácil estavam à disposição do público. Vemos que a Internet se desenvolveu num ambiente seguro, propiciado por recursos públicos e pesquisa orientada para missão, mas que não sufocava a liberdade de pensamento e inovação.

Como qualquer pessoa podia se ligar à Internet, muitas inovações foram surgindo: e-mail, salas de chat, o MODEM e, finalmente, o hipertexto. A lição que fica é que os usuários são os principais produtores da tecnologia. No caso da Internet, as modificações introduzidas são transmitidas de volta ao mundo inteiro em tempo real. 

Três condições são necessárias para o êxito da Internet: 1) a arquitetura de interconexão deve ser ilimitada, descentralizada; 2) todos os protocolos de comunicação e suas implementações devem ser abertos, distribuídos e suscetíveis de modificação; 3) as instituições de governo da rede devem ser montadas em conformidade com os princípios, enraizados na Internet, da abertura e da cooperação.

Fonte de Consulta

CASTELLS, Manuel. A Galáxia da Internet: Reflexões sobre a Internet, os negócios e a sociedade. Tradução de Maria Luiza X. de A. Borges. Zahar. 

06 agosto 2020

Peso e Auto-Hipnose

Questão: como reduzir o peso por meio da auto-hipnose?

A redução e o controle do peso de uma pessoa têm muito a ver com a imaginação e a auto-hipnose. Para início de conversa, a imaginação é muito mais poderosa que a força de vontade, pois no organismo é ela quem ocasiona os estímulos: imagine uma comida saborosa (bife bem passado, por exemplo) e logo virá água à boca. A força de vontade, por si só, não ocasiona a formação de saliva.

Falar consigo mesmo é um exercício de imaginação. Observe a inutilidade da força de vontade nas pessoas viciadas em drogas.

A frase de Emile Coué, psicólogo francês, "Dia a dia, de todas as maneiras, estou me sentindo cada vez melhor", é recomendada para mudar as respostas automáticas do subconsciente. 

Ideias de visualizações: visualize-se mais magro. Visualize o movimento do pêndulo. Acompanhe pela imaginação a ida e a vinda do pêndulo. 

Em se tratando do relaxamento, há dois métodos populares: o método sensorial e o motor. No método sensorial, usa-se a fantasia para imaginar a nós mesmos num cenário de paz, beleza e tranquilidade, tal como uma praia no Havaí. No método motor, usa-se a fantasia para imaginar-se num estado de pesada, rígida e letárgica imobilidade muscular. 

As causas de comer em excesso são tão diversificadas quanto o problema da vida — variam desde a falta de dinheiro até problemas com a sogra, desde sexo até segurança. Convencer-se a emagrecer poderá ser um diálogo e existem técnicas para induzir seu subconsciente a fornecer a resposta. 

Uma regra de sabedoria popular sobre a longevidade diz que uma pessoa que tem 50 anos de idade, com excessivo peso corporal, tem 50% a menos de vida. 

Todo indivíduo com excesso de peso deve ser encarado sob o ponto de vista psicossomático (mente e estômago). Não se deve procurar a causa do excesso de apetite apenas no funcionamento do estômago e dos intestinos; deve-se também verificar os estados de depressão e de euforia. 

Extraído de:  PETRIE, Sidney e STONE, Robert B. Como Reduzir e Controlar o seu Peso Através da Auto-hipnose. Tradução de Gilda Knoplich. Revisão médica e prefácio do Dr. José Knoplich. São Paulo: Best Seller, 1966.

09 julho 2020

Curso de Meditação 24h

meditação é conjunto de práticas que visam focar a mente em um objeto, atividade ou pensamento, com o objetivo de alcançar um estado de clareza mental que traga mais lucidez e conforto.

No Curso de Meditação, você será introduzido a esta prática, suas técnicas, benefícios e as maneiras mais eficazes de começar a meditar dentro da sua casa, sem a necessidade de utilizar objetos especiais para este fim.

Eis os tópicos desenvolvidos neste curso:

Unidade 1 – Aspectos gerais da meditação
  • A origem da meditação
  • Estados da mente humana
  • O que é o estado meditativo?
  • Meditação nas religiões
Unidade 2 – Disciplina para meditar
  • Desenvolvendo a concentração
  • A importância da respiração
  • Ensinamentos milenares
  • Dicas e reflexões
Unidade 3 – Meditação na prática
  • Silêncio: esvaziando a mente
  • Música e meditação
  • Mantras
Unidade 4 – Dicas de meditação
  • Atenção com as distrações
  • Tipos de meditação
Unidade extra – Mindfulness e meditação no mundo contemporâneo
  • O que é mindfulness?
  • Mindfulness no dia a dia
  • Métodos de respiração
  • Meditação guiada
  • Encerramento

Para mais informações, acesse o Curso de Meditação no Site 24h 




11 março 2020

5 Passos para Aprender Qualquer Assunto

"Se você não consegue explicar algo de forma simples, então você não entendeu o assunto." (Richard Feynman, prêmio Nobel de Física em 1965)

Seu princípio básico é a verdade. Dizia: "Nunca se autoengane, você é a pessoa mais fácil do mundo que pode enganar." O que eu realmente sei? O que com certeza eu não sei? Sua honestidade intelectual obrigava-o a ir a fundo em tudo que o interessava.

Os 5 Passos

Passo n.º 1  Escolha um assunto que quer entender e comece a estudá-lo. Busque o máximo de conteúdo disponível [vídeo, livro, internet...]. Depois, escreva em uma página em branco, em tópicos, tudo o que estiver aprendendo sobre o assunto, e de preferência à mão, que é uma das formas (cientificamente comprovada) mais eficazes para assimilar o conteúdo.

Passo n.º 2  Finja ensinar o assunto aprendido para alguém. Organize as ideias em ordem lógica, com começo, meio e fim, e falando em voz alta para ajudar a reter o que se está falando, usando sempre termos muito simples, evitando ao máximo o uso de jargões técnicos, para facilitar o entendimento de quem ouve.

Passo n.º 3  Identifique suas falhas na explicação. Mapear as partes que se sentiu inseguro ou quando foi complexo demais. Faça uma marcação nos pontos da exposição que podem ser melhorados.

Passo nº 4  Corrija o conteúdo aprofundando o conhecimento e simplificando a explicação. Se for falha de conteúdo, volte ao passo , estude mais a fundo e reforce o aprendizado. Se for falha de complexidade excessiva, simplifique, resumindo por meio de analogias.

Passo n.º 5  Refaça todo processo quantas vezes for necessário.

As partes mais fundamentais da técnica Feynman é o uso de analogias. As analogias visuais ajudam a conexão com o nível de entendimento de quem ouve.É a forma mais simples de explicar um fenômeno desconhecido e complexo.

Não se iluda. Para conseguir simplificar, é necessário dominar o assunto, sendo fiel à teoria ou ao conteúdo a ser explicado

Usar as perguntas (o quê? Como? Por quê?) quantas vezes for necessário.

Vários benefícios

1) Você vai desenvolver sua capacidade de pensar criticamente.
2) Você tomará decisões mais assertivas e melhor embasadas.
3) Ao aprender a ensinar, você se se ensina a aprender.

Notas extraídas do vídeo: (https://youtu.be/TVHUs67kwRk)


08 outubro 2019

Origem dos Algarismos

Estamos sempre à procura das origens. Em se tratando dos algarismos, há algumas explicações que são fantasiosas. Eis algumas delas: 1) os formatos dos algarismos representam tantos ângulos (Ver figura) quanto o numeral deve indicar; 2) os formatos dos algarismos apresentam tantos segmentos (Ver figura) quanto o numeral deve indicar; 3) os numerais eram representados por pontos (Ver figura) que posteriormente teriam sido ligados dando origem aos nove sinais conhecidos.

Georges Ifran, em sua História Universal dos Algarismos, diz-nos que, em 4000 a.C., os primeiros algarismos da história foram inventados para substituir as pedras por objetos, fazendo-os corresponder a uma ordem de unidade de um sistema de numeração: um pauzinho simbolizava a unidade; uma bilha, a dezena; uma esfera, a centena. Na baixa Mesopotâmia, houve diferença de detalhes, pois a tradição era sexagesimal. Acrescenta que o homem orienta-se pelo seu corpo, conta com seus dedos. Além disso, foi universalmente ajudado por pedras, conchas, pauzinhos etc.

Em 2000 a.C., depois de as letras terem sido inventadas, poder-se-ia escrever números por meio delas. O sistema consistiu em atribuir às letras uma ordem: primeiro, os valores numéricos de 1 a 9 e depois, por dezenas, de 10 a 90 e em seguida por centenas etc. Os matemáticos da Grécia antiga racionalizaram a numeração no quadro do sistema decimal. O domínio mágico e divinatório preocupou-se com a soma dos valores das letras constitutivas de uma palavra. Exemplo: o número 26 tornou-se um número divino para os judeus. YAHWEH (Y + H + W + H = 10 + 5 + 6 + 5 = 26).

A jornalista Katharyne Bezerra diz que há mais 
de 30.000 anos, os homens da caverna sentiram a necessidade de contar objetos e suas conquistas. Para isso, usavam pedaço de madeira ou um osso, que servia para fazer traços. Para cada animal adquirido, um traço era adicionado. No final, tinha noção da soma dos animais conseguidos daquele dia. Depois de se tornar sedentário, tem necessidade de controlar os seus animais. A cada animal que saia pra pastar um pedra era colocada dentro de um saco; quando os animais voltavam, retirava as pedras do saco.

Os números hoje utilizados foram criados pelos indianos no século V na era cristã, mas só foram difundidos para todo mundo pelos árabes. Por essa razão, os algarismos ficaram conhecidos como indo-arábicos.

14 setembro 2019

Curso sobre Conservação de Alimentos

Há muito tempo o Cursos 24 horas atua no mercado online. Oferece diversos cursos por meio de vídeo-aulas dinâmicas e interativas, com tutor virtual, exemplos e exercícios. Há também apostilas, que podem ser baixadas e impressas. Uma vez matriculado em um curso, o material fica disponível para futuras consultas. Ao término do curso, pode-se imprimir um certificado ou recebê-lo pelo correio.

"No Curso de Métodos de Conservação de Alimentos, além de conhecer a fundo sobre os males causados pelos organismos celulares, você também ficará por dentro da importância que esses micro-organismos têm na ciência dos alimentos e como se desenvolve a ação benéfica deles. Conhecerá também a melhor forma de higienizar, preparar e armazenar os diversos tipos de alimentos, como carnes, peixes, frutas, verduras, legumes, etc."

Historicamente, a conservação de alimentos começa em 4000 a.C., quando o homem primitivo utilizava recursos encontrados na natureza: gelo, calor do sol, fogo e fumaça (defumação). Em 450 a.C., no Egito, a carne de aves era desidrata e salgada. No século XI, na França e Espanha, o bacalhau era salgado. No século XVIII, todas as nações começam a usar lata de ferro estanhado. No século XX e XXI, é descoberta a pasteurização por Louis Pasteur. Mais tarde surge a Ultrapasteurização, processo pelo qual o leite é submetido a temperaturas entre 140ºC e 150ºC por 2 a 4 segundos e imediatamente resfriado para temperatura inferior a 32ºC.

Neste curso aprendemos sobre intoxicações, contaminações, atuação dos micro-organismos, aditivos alimentares etc. Em se tratando da contaminação, temos: contaminação pelas águas residuais, pelo solo, pelo ar, pelos animais, pelas frutas e verduras etc. 

Algumas dicas durante as compras:
  • Não utilize embalagens reaproveitáveis. Elas podem conter micro-organismos indesejáveis.
  • Para os congelados, é importante que os freezers estejam arrumados sem uma camada espessa de gelo. Os produtos a serem adquiridos não devem conter queimaduras provenientes do frio.
  • Não adquira legumes e vegetais em conserva que estiverem com as embalagens amassadas.
  • Sobre derivados do leite, cuidado para que estes não estejam estragados. Verifique se a tampa não está abaulada.
  • Observe a cor da carne (a bovina deve ser bem vermelha e a suína, rosada).

Para mais informações acesse Curso Métodos de Conservação de Alimentos


17 junho 2019

Neuropedagogia

Neuropedagogia é uma área de conhecimento que engloba a Pedagogia e a Neurociência. Tem por objeto o estudo do funcionamento do cérebro e sua influência no processo de ensino e aprendizagem. Um curso, com este nome, incluiria o estudo do cérebro, a aprendizagem, o ensino e as relações com a educação especial.

Quanto ao cérebro, destacaríamos: 1) plasticidade. A capacidade que o cérebro tem de se modificar e se adaptar; 2) neurônios. As células responsáveis por transmitir os impulsos nervosos; 3) sistema límbico. O gerenciamento de nossas emoções e comportamentos diante dos outros; 4) memória. A capacidade de nos relacionarmos com o passado, compreender o presente e planejar o futuro.

Quanto à aprendizagem, incluiríamos: 1) estudar e aprender. A ato de obter informações e fazer bom uso delas; 2) importância do ambiente. A cor das paredes, o silêncio exterior, entre outros, ajudam sobremaneira a atenção e concentração no estudo; 3) aprendizagem e as emoções. A pessoa aprende bem quando sente motivação para o que lhe é ensinado; 4) inteligências múltiplas. Dentre as sete, destacamos: inteligência lógico-matemática, linguística e musical; 5) fases da vida e suas características. Crianças de 1 ano de idade têm necessidades totalmente diferentes de outra de 10 anos.

Quanto ao ensino, especificaríamos: 1) o papel do professor. Hoje, diferente de outras épocas, o professor é responsável por formar a "ponte" entre os alunos e os conteúdos a serem ensinados; 2) o papel da escola. Por estar inserida em uma comunidade, deve levar em conta o contexto em que vivem os seus alunos; 3) o papel da família. É essencialmente o de transmitir os valores morais de seus membros; 4) temas transversais. O seu principal objetivo é propor uma educação que tenha preocupação com a cidadania e a vida social e política dos alunos; 5) tecnologias de ensino. Filmes, áudios e uso do computador são bem-vindos.

Quanto à neuropedagogia na educação, teríamos: 1) distúrbios de aprendizagem. São dislexia, discalculia, disgrafia etc.;  2) psicomotricidade. Estuda o corpo em movimento em relação ao seu mundo interno e externo; 3) educação inclusiva. Incluir na escola regular os alunos com necessidades especiais.

Para mais informações, consulte curso de Neuropedagogia (Cursos 24h)




27 novembro 2018

Assertividade

"Os submissos atraem os abusadores como o pólen atrai as abelhas".

Asserto. Opinião emitida como verdadeira ou assim considerada; liberdade emocional de expressão. Assertivo. Em comunicação, diz respeito ao locutor que declara algo, positivo ou negativo, assumindo inteiramente a sua validade. Em psicologia, aquele que demonstra segurança, decisão e firmeza nas atitudes e palavras.

A maioria das pessoas pode ser presa fácil da manipulação. O medo pela perda de um emprego ou de uma posição social leva o indivíduo a obedecer passivamente o seu superior. Observe quantas não são pessoas, que se encontram tristes e cabisbaixas, simplesmente porque têm vontade de agir de um determinando modo e não o fazem por medo de sofrer represálias e imposição de terceiros.

Embora o "sim" seja mais fácil de dizer, o "não" pode ser mais instrutivo. Essa é a essência da assertividade, ou seja, saber quando dizer sim e quando dizer não. Geralmente dizemos sim por comodismo, por não querer contrariar o nosso semelhante. Mateus, em seu Evangelho, alerta-nos: "Seja, porém, o vosso falar: Sim, sim; não, não; pois o que passa daí, vem do Maligno". Lembremo-nos também do ensinamento de Jesus: "Se tu mesmo, desenvolva a tua personalidade".

Na vida, temos de escolher: dependência ou liberdade. Optamos por obedecer para não desagradar ninguém. E nós? Por que não nos concentramos em nossos próprios objetivos? É possível que aquela proposta não faça parte do nosso projeto de vida. Nesse caso, perdemos o nosso precioso tempo, que registra as marcas de nossa evolução material e espiritual.

Não há duas almas iguais. Sigamos o nosso caminho e deixemos que cada um siga o seu.

Para mais informações, leia "O Direito de Dizer Não", de Walter Riso, publicado pela L&PM POCKET


08 agosto 2017

Frases sobre Oratória

"Um homem nunca se torna orador quando tem algo para dizer." (Finley Peter Dunn, humorista do início do século vinte)

Os oradores "Podem ser melhor descritos como [pessoas] que, antes de se levantarem, não sabem o que irão dizer; quando estão falando, não sabem o que dizem; e quando voltam a sentar-se, não sabem o que disseram." (Winston Churchill)

“Bom orador é o que se convence a si mesmo antes do convencer o auditório.” (Carlos Drummond de Andrade)

“O orador vive à espera da catástrofe para transformá-la em motivo de oratória.” (Carlos Drummond de Andrade)

"Oratória: uma conspiração entre o discurso e a ação para enganar a inteligência. Uma tirania atenuada pela estenografia." (Ambrose Bierce)

Oscar Wilde comentou sobre um orador seguro: "Ele sabe exatamente quando não dizer nada."