16 janeiro 2015

Solução Positiva de Conflitos

FotoHá pessoas que se orgulham de sua refinada habilidade em evitar os conflitos, pois acham melhor não magoar as pessoas, o que se torna uma grande desvantagem. Quando os profissionais não praticam uma comunicação honesta e evitam expor claramente os fatos, elas não conseguem tomar decisões eficazes. Onde não há sinceridade, pode-se ter uma incompetência refinada, refinada porque a pessoa treina.

É comum considerar as diferenças individuais, a vaidade, o egoísmo e a ganância como sendo as causas dos conflitos. Podem ser causas indiretas. A causa direta pode ser assim expressa: uma pessoa sente que o seu colega de trabalho é um obstáculo à sua ascensão dentro de uma empresa. Esse antagonismo gera o conflito. Há, também, conflito entre áreas: Crédito & Comércio, Marketing & Vendas, Produção & Manutenção. 

Quais são os caminhos para se lidar com o conflito?

1) Caminho da negação. O conflito não é resolvido e pode piorar, estourando mais tarde de maneira totalmente inadequada. 
2) Caminho do confronto. Pode haver folga, mas se os conflitantes não assumirem suas responsabilidades pelo conflito e pela solução, elas serão apenas aparentes. 
3) Caminho do conflito assumidoescolhe-se a ação adequada, sem o contágio da vaidade pessoal, fechando-se o acordo favorável. 

Em síntese, a solução positiva de conflitos é bem conduzida por aqueles que encaram o conflito, buscam as causas e aplicam medidas adequadas, conforme as características de cada colaborador e do caso.

Fonte:

Apostila do Grupo Santander Brasil - Solução Positiva de Conflitos. 


12 janeiro 2015

Influência e Resultados

Fototese: todos na organização são potenciais aliados.

A influência é a capacidade de direcionar o comportamento do outro na direção desejada. Podemos vê-la tanto nas relações pessoais como nas corporativas. Em qualquer um dos casos, a confiança é o elemento-chave. Para entendermos as redes de relacionamentos e selecionarmos aliados, tenhamos em mente: não temos tempo, há excesso de informações, cansaço e estresse.

Os princípios de influência no relacionamento com parceiros podem ser resumidos: oferecer concessões, começar cooperando, tomar a iniciativa. Tomemos cuidado com as trocas desiguais. Sejamos consistentes, ou seja, inteligentes, racionais, estáveis e honestos. Em se tratando da influência no experimento, recordemos que 95% das pessoas são imitadoras e 5% iniciadoras.

Segundo a teoria da relatividade psicológica (menos escolha, menos liberdade), pessoas preferem dizer "sim" para quem elas conhecem e gostam. Por que gostamos de alguém? Geralmente, levamos em conta a aparência física, a similaridade, a agradabilidade. Nesse sentido, enfatizemos a similaridade, estabeleçamos a confiança e elogiemos sinceramente.

Para não perder o focotrabalhar duro; levar resistências a sério, sem emoção; enfatizar a relação ganha/ganha com a empresa; ousar sempre; transformar a sua "aparente" fraqueza em força.

Criando condições para aberturatente ir além do que foi dito inicialmente; pergunte para entender o que realmente é importante; se necessário, peça esclarecimento sobre alguma expressão; avalie novas ideias; dê informação; revele algo de si mesmo.

No mundo corporativo, identifiquemos os tipos de moeda que estamos usando no "Banco da Reciprocidade": prefiramos as moedas de inspiração, reputação e gratuidade. 

Fonte:

SANTILLE, Alexandre. Influência sem Autoridade. Apostila do Laboratório de Negócios SSJ.

A metodologia que usam em todos os treinamentos segue os princípios da Andragogia moderna: ciência que estuda as melhores práticas para orientar adultos a aprender. 

Nos cursos, utilizam metodologias, casos e vivências que tiram o participante da sua zona de conforto e proporcionam um aprendizado efetivo e profundo.