12 setembro 2014

Força do Entusiasmo, A

ANOTAÇÕES DA PALESTRA "A FORÇA DO ENTUSIASMO", DO PROFESSOR GRETZ, POSTADA NO YOUTUBE  

Sábio é quem dá valor ao que tem, antes de perder!
Antes eu sonhava; agora eu não durmo.

Um rei chamou um sábio e perguntou-lhe:

1) Qual é o momento mais importante da minha vida? 
2) Qual é a pessoa mais importante da minha vida? 
3) Qual é a missão mais importante que se tem de fazer na vida?

Respostas do sábio:

1) O momento mais importante é o agora.
2) A pessoa mais importante é a que está do seu lado.
3) A missão mais importante é fazer essa pessoa feliz. 

Perguntaram ao John Lennon o que é a vida. Ele respondeu que a vida é aquilo que acontece enquanto fazemos plano para o futuro.

A primeira palavra da caixa preta do avião: "meu Deus!"

Divulgação do livro "Voando com a Águia - A Inteligência Espiritual como Fator de Mudança".

A águia tem uma meta, rapidez nos movimentos, desloca-se em tempo mínimo, adapta-se à realidade...  

"Boi lerdo bebe água suja." 

Nota de jornal: num concurso da mulher mais feia, o marido incentivou a inscrição da vencedora.

A menor distância entre duas pessoas é o bom humor.

O maior pecado é não ser feliz. Ninguém poderá me fazer infeliz sem o meu próprio consentimento.

"Quem revisita o passado frequentemente envenena o presente." 

A diferença entre otimista e entusiasta. O otimista é aquele que acha que tudo vai dar certo. O entusiasta é o que faz dar certo. 

Se você mudar, o mundo muda com você.


ver mais

10 setembro 2014

Aumentar a Inteligência

Notas do vídeo (YouTube) de uma palestra do professor Perluigi Piazzi.

O professor Perluigi Piazzi nos dá algumas dicas para estudar com eficiência. Começa dizendo que o nosso cérebro equivale a 1.500 computadores. Só que vem sem instruções. Aproveita e ressalta que a maneira (não é dicção, gramática) como ser humano fala é a maneira como ele pensa.

Deu ênfase à diferença entre aluno e estudante. Aluno é aquele que assiste à aula; o estudante, aquele que estuda a aula dada. Para ele, aula dada deve ser entendida como aula estudada, e no mesmo dia. Além disso, assistir à aula é coletivo, passivo. Estudar é solitário, ativo. Estudo eficiente implica escrever. Escrever no papel vai para o HD do cérebro; escrever no computador, para o HD do computador.

Bom professor é aquele que explica até o aluno entender.

Finlândia é o primeiro do mundo em educação. Por quê? Eles tem poucas horas de dia claro. O resto é noite. Os alunos assistem à aula de manhã; à tade estudam.

Um erro grave: os alunos conversam demasiadamente durante as aulas; não prestam atenção à matéria dada. Uma das causas é o uso excessivo da televisão e da internet.

Uma Universidade dos Estados Unidos fez uma experiência com alguns alunos, que quiseram servir de cobaia, ou seja, ficarem três dias sem celular e sem computador. Resultado: passaram a sentir os mesmos sintomas dos dependes de drogas: ânsia de vômito, febre, convulsões

O Hospital das Clínicas, em São Paulo, tem um setor denominado DESINTOXICAÇÃO DA INTERNET.




ver mais

08 setembro 2014

Coaching

Coaching é a relação que se estabelece entre o coach e o coachee. O primeiro designa o orientador, o instrutor, o facilitador; o segundo é o aprendiz, aquele que recebe instruções do coach. A finalidade do coaching é desenvolver as potencialidades do coachee, que se substanciam em gerência, saúde, entretenimento, entre outros. O seu desenvolvimento resume-se em quatro fases: eu preciso, eu quero, eu posso, eu mereço. Para ser um excelente coach, há um pequeno requisito: gostar de pessoas. 

A palavra “coach” surgiu pela primeira vez em 1500, na Inglaterra, e designava aquele que conduz uma carruagem para transportar pessoas de um lugar para outro. Em 1850 passou a ser usado nas universidades inglesas com o sentido de “tutor de pessoas”. Em 1950 é introduzido na literatura dos negócios como uma habilidade de gerenciamento de pessoas. Em 1960 falou-se das habilidades de coaching de vida. Em 1980 programas de liderança incluíram o conceito de Coaching Executivo e o mundo dos negócios começou a dar importância a este tema. Nos dias atuais, utiliza muitos princípios e práticas provenientes da área esportiva. 

O coaching pode ser dividido em 4 tipos: executivo, de vida ou pessoal, performance e liderança. O coaching executivo é aquele que tem como objetivo principal capacitar executivos para sua atuação profissional, visando a excelência na vida pessoal e no ambiente empresarial. O coaching de vida ou pessoal é capacitar as pessoas para que se auto-realizem conseguindo alcançar suas metas, tendo uma vida equilibrada baseada nos valores e em seu propósito de vida. Coaching de performance, também conhecido como Coaching do Desempenho, é a atividade voltada para destravar as habilidades naturais dos profissionais. Coaching de liderança é uma atividade que consegue reconhecer potenciais e desenvolver competências da equipe.

O coaching é diferente de terapia. Enquanto o terapeuta procura trabalhar causas passadas, o coach trabalha o presente e projeta o futuro do coachee. Coaching é diferente de consultoria. O consultor detém conhecimentos técnicos sobre uma determinada atividade. O coach trabalha com ideias no seu sentido geral. Coaching é diferente de mentoring (aconselhamento). O coach auxilia seu cliente a encontrar as melhores soluções sem dar conselhos. Coaching é diferente de autoajuda. Autoajuda é apresentar informações teóricas para ajudar as pessoas a encontrar o melhor caminho e atingir um nível de felicidade satisfatório. O coach é visto como parceiro, que ajuda seu cliente a melhorar e a crescer como ser humano, fazendo com que ele aprenda e consiga atingir seus objetivos de forma rápida.

O coaching serve para desenvolver a liderança em executivos, aumentar a performance de líderes e empreendedores, auxiliar a pessoa na ampliação de sua visão de mundo, prestar assessoria pessoal e profissional, construir equipes de alto desempenho, aumentar resultados pessoais em diferentes nichos/modalidades, desenvolver carreira e vida pessoal, auxiliar no planejamento, ajudar a adquirir habilidades e competências, entre outros. 

Há sempre novos termos, novas perspectivas, mas o problema básico continua o mesmo, ou seja, o autoconhecimento. Depois disso, a mudança comportamental que podemos realizar ao longo do tempo. 

Fonte de Consulta

ver mais